Tribo Bajo, Aprenda a Sorrir Com os Ciganos do Mar em Wakatobi

Tribo Bajo, os ciganos do mar de Wakatobi, Indonésia

Viajar para uma ilha paradisíaca significa: tomar sol, nadar, fazer mergulho e relaxar… Em Wakatobi você curte tudo isso e muito mais. Esse grupo de ilhas localizado no Sudeste da região de Sulawesi – Indonésia, me surpreendeu de maneira diferente. Foi onde conheci a Tribo Bajo, os ciganos do mar que vivem literalmente sobre as águas.

As casas são simples, construídas em palafitas, flutuando na água cristalina do mar. É lindo de ver, admirar aquela frágil estrutura resistindo as mudanças do tempo. A vila no meio do oceano é o endereço da Tribo Bajo, também chamados de ciganos do mar. Um povo que por séculos tem vivido em barcos e em casas flutuantes, são mergulhadores, pescadores e navegadores por natureza. Isso sem falar nas crianças, as mais simpáticas e sorridentes que já conheci.

Os barcos-casa fazem parte do passado, agora a maioria da Tribo Bajo vive em casas construídas com bambu, madeira e até alvenaria. A villa fica no meio do mar, erguida sobre um recife de corais. Uma realidade difícil de descrever e entender. Bonito, encantador e desafiador, assim como toda a região de Wakatobi na Indonésia.

A vida do povo Bajo depende 100% do mar. Em Wakatobi existe 3 vilas dos ciganos do mar.

A Tribo Bajo é famosa na internet, com fotos lindas mostrado as casas flutuantes e as crianças nas canoas. Mas a verdade é que apenas um pequeno grupo de viajantes tem a oportunidade de conhecer ao vivo e a cores a comunidade Bajo em Wakatobi.

Antes de visitar a vila eu estava com o coração dividido. Estava super empolgada com a oportunidade ver as casas e conhecer o povo Bajo, mas estava apreensiva com a recepção deles. Por nenhum momento queria desrespeita-los, ser uma intrusa que aparece do nada para tirar fotos, tipo um turísta que vai ao zológico. Não queria incomoda-los, ou fazer eles se sentirem como objeto. Por isso, quando desci do barco procurei o caminho mais tranquilo, com menos pessoas, e por alguns minutos caminhei sem tirar nenhuma foto.

A Tribo Bajo constrói as casa sobre palafitas, com bambu e madeira, no meio do oceano em Wakatobi, Indonesia.

Na Tribo Bajo a vida é simples e dura, a existencia depende do mar.

Passo a passo fui entrando nesse mundo flutuante, e sorriso a sorriso fui tomando coragem de pegar minha câmera e começar a fotografar. Primeiro as casas, depois os barcos, até que de repente apareceu um grupo de crianças gritando “Foto!Foto!”. Esse era o sinal que eu esperava, minha reação foi pegar o celular e tirar uma selfie.

Acho que eles estão acostumados a serem fotografados, mas quando pedi para tirar uma foto comigo eles ficaram surpresos. Me abaixei, juntamos os rostos e click! A partir daquele momento eles se tornaram meus guias oficiais dentro da vila.

Selfie com as crianças da Tribo Bajo, os pequenos mais felizes e sorridente que já conheci!

As crianças da Tribo Bajo se surpreendem olhando as fotos.

Continuamos a caminhar, pulando de uma plataforma a outra, tirando fotos, rindo… Duas meninas e um menino me seguiram por toda a parte, a mais velha era um pouco envergonhada, durante todo o tempo ela ficou segurando na barra do meu shorts, mas quando eu ia tirar uma foto dela, ela se escondia. O vestido amarelo contrastando com a pela morena, e os olhos cor de carvão eram lindos demais. Isso sem falar no sorriso, capaz de iluminar o mundo.

Aredito que viagens são feitas de momentos e pessoas, e enquanto brincava com as crianças fui convidada a entrar em uma das casas e conhecer 4 mulheres lindas. Esse era o momento que eu tanto esperava, a oportunidade de entender um pouco mais da cultura e da vida da Tribo Bajo.

Para minha sorte, pertinho de mim estava a Ferina uma das meninas do Ministério de Turismo que nos acompanhou na viagem. Ela foi a tradutora da conversa. O Povo Bajo fala uma dialeto local, mas a maioria dos adultos também fala o Bahasa [idioma da Indonésia]. Entre risadas, elas nos explicaram que a vida do povo Bajo ainda está 100% ligada ao mar. Peixe, lula e ouriços são a comida do dia a dia, e também a moeda de troca usada para comprar arroz e todas as outras coisas que eles precisam para sobreviver.

Para a Tribo Bajo a vida é dura e simples, mas de certa forma eles parecem ser mais felizes do que nós, moradores do tão aclamado mundo moderno.

Visitar a Tribo Bajo é a oportunidade de conhecer e aprender um pouco mais sobre os ciganos do mar. Entender a beleza de morar nas águas de Wakatobi, Indonésia.

Fiquei muito feliz e agradecida por conhecer aquelas mulheres. Uma conversa rápida que despertou uma grande reflexão. Visitar os ciganos do mar não é apenas uma experiência interessante e única, é também uma lição. Foi ali, no meio do oceano, que tive a certeza que felicidade não tem nada haver com bens materiais. Que uma vida simples te dá liberdade para sorrir.

Quando estávamos chegando na comunidade Bajo, algumas pessoas no barco comentaram que sentiam pena das crianças, por terem uma vida tão simples… Falta de roupa [algumas crianças correm peladas pela vila], as casas são pequenas e a comida é simples… Mas o que eles têm é muito mais importante: a natureza e a felicidade!!

Aprendendo a ser feliz e sorrir com as crianças da Tribo Bajo.

A beleza da Tribo Bajo está no sorriso das crianças.

Porque para ser feliz você não precisa de muito! Lição que aprendi com a tribo Bajo, Wakatobi.

Depois da visita fique sentindo pena de nós, dos ocidentais malucos. Nós que vivemos cobertos em coisas matérias, trabalhando para pagar contas, deixando nossa felicidade de lado por um carro ou por uma casa maior… Não estou dizendo que deveríamos largar tudo e se tornar um Bajo [não, não sobriveríamos nem um mês]. Mas definitivamente precisamos repensar nossos valores e nosso estilo de vida. Repensar nossa escassez de sorrisos, nossa cara feia quando a internet não funciona, quando o garçom demora muito para trazer nosso café, ou quando não podemos comprar uma novo par de sapatos.

Faz três anos que iniciei um processo de me tornar minimalista, dando mais valor à experiências do que coisas materiais. Visitar a Tribo Bajo me fez ter certeza que estou no caminho certo, e depois dessa viagem decidi encarar mais um desafio: sorrir mais!

Todos os dias tento colocar um sorriso sincero no meu rosto, manter o pensamento positivo e espalhar felicidade aos familiares, amigos e qualquer um que cruzar o meu caminho. Ser feliz foi a lição que aprendi durante a minha visita aos ciganos do mar em Wakatobi. Ser feliz com pouco foi o que as mulheres da vila me falaram.  Compartilhar sorrisos foi o que as crianças me ensinaram. Leve uma vida mais simples, sorria mais, seja feliz… Você vai sentir as mudanças no meu coração e no seu dia a dia.

Você quer visitar a tribo Bajo em Wakatobi, Indonésia? É só seguir as dicas:

Onde o povo da Tribo Bajo vive?

Você encontra os ciganos do mar em várias regiões da Indonésia, Filipinas e Malásia. A vila Bajo que visitei fica em Wakatobi, um grupo de 4 ilhas na região sudeste de Sulawesi, Indonésia.

Como visitar a vila Bajo?

Para chegar na Vila Bajo você precisa voar até o aeroporto da ilha de Wangi-wangi. Há voos diários saindo de Jakarta, Bali e Makassar. Da ilha você precisa encarar uma viagem de barco, cerca de duas horas (você pode contrar uma operadora de passeios turísticos ou conversar com um dos pescadores). Existem três comunidades Bajo na região, nós passamos de barco por duas e paramos na terceira, a que fica mais longe da costa e não está ligada a nenhuma outra ilha.

Para visitar a tribo Bajo você precisa se hospedar em um dos hotéis ou pousadas nas ilhas. Os melhores websites para resquisar e reservar hotel em Wakatobi são o Booking e o Agoda. Nós usamos e recomendamos!

Quanto custa para visitar a Tribo Bajo?

Boa pergunta! E eu não tenho resposta! Minha visita foi organizada pela empresa de turismo que nos levou para fazer mergulho e snorkel [todos os detalhes da minha aventura áquatica no próximo post]. Eu tentei descobrir o preço para fazer somente o tour até a comunidade Bajo, mas não encontrei nenhuma opção. Tenho certeza que se você conversar com a recepção do seu hotel eles vão saber te indicar. Para o povo Bajo você não precisa pagar nada, mostre apenas respeito e amizade.

Outras recomendações:

Soria!! Curta cada segundo dessa aventura em Wakatobi, encontre a felicidade de estar rodeado por uma natureza deslumbrante.

Curtiu?! Salve no Pinterest e Compartilhe!!

Aprendendo a sorrir com os ciganos do mar em Wakatobi, Indonésia! Como é viajar para Wakatobi e conhecer a Tribo Bajo, descobrir a beleza de estar rodeado por natureza, e as dificuldades de viver no mar.

 
Quer mais dicas de viagem na Indonésia? Dá uma olhada nesses posts:

> Expedição na Floresta de Bornéu: Tanjung Puting Parque o os Orangotangos Selvagens

> Ilhas de Wakatobi: Para Quem Curti Praia e Mergulho

> Como Viajar Para a Ilha de Komodo: Dragoões e Paisagens de Tirar o Fôlego

> O Melhor de Bali: O Que Fazer e Onde Ficar na Ilha dos Deuses

PS: Um super obrigada ao Misnitério de Turismo da Indonésia por ter me convidado a conhecer um lugar tão bonito e um povo tão encantador.  

Wakatobi - Indonésia!
Como é viajar para Wakatobi e conhecer a Tribo Bajo. Descobrir a beleza de estar rodeado pela natureza, e as dificuldades de viver no mar. Uma expreriência incrível, uma viagem que você nunca vai esquecer.

2 Comments

  1. Excelente relato. Sulawesi anda aqui na minha cabeça há muito tempo, mas de Wakatobi pouco ou nada sabia. Mais uma prova de que há tanta, tanta coisa boa para ver naquela zona… 🙂
    Grande abraço (desde Teerão),
    Filipe

    1. Oi Felipe!!
      Com certeza ainda tem muito lugar escondido por esse mundão. Sulawesi é um mundo a parte, com natureza e cultura riquíssima. Coloca Wakatobi na sua lista de viagem que vale muito a pena.
      Abraços,

      Nat

Post a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *